A catarata é uma doença ocular causada pela opacificação do cristalino, lente natural do olho que  é responsável pela focalização da luz sobre a retina. É a principal causa de cegueira reversível no mundo.

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença são o envelhecimento, diabetes, o uso freqüente de medicamentos como os corticosteróides, exposição aos raios UVB e doenças oculares como a uveíte e o glaucoma.

O paciente com catarata pode queixar-se de sensação de visão “borrada”, maior sensibilidade à luz (fotofobia), dificuldade para dirigir, ofuscamento, etc. O tratamento eficaz é a cirurgia, que consiste na substituição do cristalino opaco por uma lente artificial. Embora seja um procedimento cirúrgico bastante delicado, a modernização da técnica utilizada tornou o procedimento rápido e seguro. A utilização de anestesia local (tópica) com instilação
de colírios e géis anestésicos permite uma cirurgia tranquila, sem dor e sem a necessidade de tampão oclusivo na maioria das vezes ao final do procedimento.

A indicação da cirurgia de catarata não está relacionada à idade do paciente e sim ao seu comprometimento visual. O paciente com catarata deve procurar seu oftalmologista e fazer revisões periódicas. O momento ideal para cirurgia será acordado entre o paciente e seu médico, avaliando suas
queixas e função visual, que pode afetar sua qualidade de vida de uma forma geral.

Tem se falado muito na cirurgia de catarata à laser. O laser de femtosegundo é um avanço tecnológico, que desempenha um papel cada vez maior na cirurgia de catarata. Há automatização de três passos cirúrgicos: incisões na córnea, capsulotomia anterior e a fragmentação do cristalino.