b1

O diabetes é uma doença progressiva que atinge milhões de brasileiros e afeta, entre outras áreas do corpo, os vasos sanguíneos do olho. A retinopatia diabética (RD) é uma das principais causas de cegueira no mundo. Vários estudos mostram que o tempo de diabetes é um fator de risco muito importante para determinar retinopatia diabética. Após 20 anos de doença, 90% dos diabéticos do tipo 1 e 60% tipo 2 desenvolvem esta doença.
Os pequenos vasos da retina apresentam vazamento de líquido, levando a um acúmulo na retina que se chama edema, ou formação de depósitos amarelados que são os exsudatos, ambos, dependendo da parte da retina afetada, podem provocar baixa da visão. O diagnóstico precoce do edema de mácula, que pode afetar gravemente a visão, é feito através do mapeamento de retina e da tomografia de coerência óptica (OCT) da mácula. Após diagnóstico da retinopatia diabética o tratamento deve ser conduzido com controle clínico rigoroso da glicemia e da pressão arterial, assim como pode ser feito laser em pontos específicos da retina ou difusamente. Já o tratamento com quimioterápico antiangiogênico é a injeção de medicação intraocular mais indicada para o controle do edema macular que tem risco de perda ou baixa da visão permanente. A UniVision também dispõe do laser de micropulso, que é um laser seletivo para tratamento de casos específicos de edema macular.
O controle cuidadoso do diabetes, com uma dieta adequada e acompanhamento médico, é a principal forma de evitar o desenvolvimento da retinopatia diabética. O paciente diabético deve fazer a consulta oftalmológica já, quando tiver o diagnóstico de diabetes, e a frequência do acompanhamento vai ser definida pelo seu oftalmologista.